perspectivas que podem bombar no mundo cripto em 2023

perspectivas que podem bombar no mundo cripto em 2023

possibilidade de manipulação dos mercados. Isso não tenderá a mudar no próximo ano.

3. Regulação brasileira não vai andar muito além do PL aprovado na Câmara: não acontecerão grandes inovações em 2023 do ponto de vista legislativo e regulatório. Mesmo assim, essa não é uma notícia totalmente ruim, isso porque a legislação aprovada é apenas principiológica e não detalha como serão os esforços da lei, deixando mais livre para as instituições como o Banco Central colocar a mão em regras que está acostumado a trabalhar.

4. A volta do ‘not your keys, not your bitcoins’: os colapsos evidenciados ao longo do ano de 2022 trouxeram medo ao investidor de deixar os seus ativos nas mãos de terceiros. Ao longo de 2023 mais provas de reservas serão demandadas das exchanges, o que é positivo, mas não garante a solvência das empresas, isso porque não é possível garantir que a corretora não possua uma dívida que comprometa os saldos dos clientes.

Jimmy Song defende o Bitcoin, diz que tokens são uma farsa e que CBDCs, bancos e exchanges serão destruídos

5. Soluções de segunda camada ganharão destaque no ano e tokens ligados a elas devem subir: Uma das grandes notícias boas do ano foi a atualização mais aguardada da rede Ethereum, o The Merge. No entanto, a principal queixa dos usuários da rede não era o modelo econômico, mas sim as taxas cobradas nos picos de uso. Para endereçar essa questão um novo fork (atualização) está sendo discutido de maneira mais forte nos últimos meses.

Nas estimativas otimistas, essa atualização pode entrar em vigor por volta de julho de 2023. Na realista, em outubro e, na pessimista, em dezembro do mesmo ano. 

da Ethereum, programada para março ou abril de 2023 e que contará com diversas atualizações relevantes para a rede. Esta mudança trará grandes benefícios para a Ethereum e seu ecossistema, reduzindo custos e agregando valor à rede, além de facilitar a manutenção do código e futuras evoluções do protocolo.

Dia histórico: Presidente Jair Bolsonaro sanciona Lei das Criptomoedas no Brasil

11. Tese Omnichain e o problema da interoperabilidade: hoje em dia está mais evidente do que nunca a necessidade de fazer com que os blockchains se comuniquem entre si. Os principais projetos Omnichain da atualidade são o ZetaChain, a LayerZero, o CCIP da Chainlink e a Polygon Avail. Cabe ao investidor ficar atento às novidades a respeito dos desenvolvimentos dessas soluções, bem como uma atenção especial para o lançamento de seus tokens, tanto para fins de investimento quanto para fomentar seu uso e potencialmente receber airdrops.

12. DeFi: de degens a instituições: o crescimento de DeFi deu uma leve desacelerada nos últimos dois anos. Devido aos colapsos que aconteceram em 2022, como a de FTX, DeFi saiu muito fortalecido disso. Em DeFi, o próprio usuário é responsável pela custódia dos ativos que vai negociar. Outro ponto favorável é que todas as transações são transparentes, garantindo mais segurança aos traders. 

13. Mobile é a nova fronteira cripto: geração atual está muito mais acostumada a acessar serviços financeiros utilizando o smartphone. Com isso, é muito relevante a preocupação de alguns protocolos cripto e aplicações em gerar uma experiência melhor no mobile, como a Solana está fazendo, por exemplo. 

14. Login with Ethereum - esqueça cadastros e vazamento de dados: cada vez é maior a integração de plataformas da Web 3.0 com a Web 2.0 por meio da disponibilização do uso de NFTs e micropagamentos utilizando criptomoedas, a implementação de um sistema como o Login with Ethereum em plataformas como o Twitter ou Instagram não parecem fora da realidade. Dessa forma, o Login with Ethereum pode se tornar tão popular quanto às opções centralizadas oferecidas por Google, Apple e Facebook. 

15. Layer 2: o novo honeypot de hackers: a grande maioria das soluções de segunda camada implementadas não contam com os mecanismos chave de garantia responsáveis pela segurança dos rollup e são extremamente centralizadas. A menor segurança (comparável a de uma sidechain) associada a grande quantidade de capital nestes contratos inteligentes tornam este tipo de solução um prato cheio para hackers. Por todas as razões citadas, existe uma chance não nula de que 2023 possa ser o ano em que se presencie o primeiro hack em uma layer 2.

2023? O ecossistema de jogos da Web 3 ainda está em sua infância, apesar de uma grande onda de jogos em meados de 2020. É bom ter em mente os meandros do desenvolvimento do jogo e o fato de que algumas dessas compilações serão apenas betas e não o produto final, porém não podemos negar que 2023 será Foi um ano muito quente com muitos novos Web 3 Jogos. isso pode estar se aproximando de criar um jogo que pode quebrar a bolha social dos jogos blockchain.

23. A nova adaptação de todos à Web 3.0: até 2023, mais marcas provavelmente adotarão essa abordagem para a Web 3 por meio de redes mais escaláveis, como a Polygon, atraindo assim novos objetos que podem ser considerados "novo capital" e podem incluir a Web 3.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Retração de Fibonacci Como Usar?

Como Comprar Baby Doge Coin?

Iq Option Como Funciona Iniciante?

Como Comprar Criptomoedas no Nubank?

Carro Som Belém - O Melhor do Pará

Criptomoedas Promissoras

O Que é Suporte e Resistencia no Day Trade Agora!